Três “praticidades” bem pouco práticas


Coisas que me incomodam em nossa vida urbana:


Garrafinhas d’água. Já parou pra pensar que a embalagem plástica demora 400 anos para se decompor, enquanto você leva apenas cinco minutos para beber a água? A H2O passará por milhões de ciclos, dentro do organismo humano, indo para o meio ambiente, evaporando, chovendo, caindo num curso d’água ou aquífero, e a garrafinha (e seu rótulo!) não vão sequer ter cumprido a primeira etapa: se decompor. Se tiver mesmo que comprar uma, pelo menos guarde a embalagem para reutilizar.


Shoppings. Reconheço que às vezes shopping pode ser prático. Mas quase sempre você demora mais do que imagina dentro daquele ambiente de ar viciado. Ao ver tantas vitrines começa a se convencer de que precisa de mais coisas do que realmente necessita. E então, finalmente, começa a ficar com sede e fome, e compra alguma junk food e uma garrafa d’água. No fim, vai ver quanto ficou o estacionamento….


Sachezinhos de açúcar. Para adoçar um simples copo de limonada hoje tive de rasgar e jogar fora quatro saquinhos de açúcar (a limonada nem ficou boa, mas eu desisti de continuar adoçando)! Não seria melhor um açucareiro? Em alguns casos, a embalagem chega a corresponder a maior parte do custo do produto do que o objeto da compra em si.

Temos que começar a pensar num jeito menos industrializado e dispendioso de embalar as coisas. Existem iniciativas, como a Avaliação de Ciclo de Vida. Mas acho memso que vamos voltar aos papéis pardos, panos e vidros..

CAROL GUILEN

Anúncios

3 comentários em “Três “praticidades” bem pouco práticas

  1. òtima dica. Ontem acabei de comprar uma garrafa de água e guardei na bolsa da academia para levar sempre a mesma embalagem e encher no filtro de casa.

    beijin

  2. Pois é… Com coisas como a H1N1 começamos a viver num mundo pseudo-higienizado, já que acreditamos que objetos descartáveis são mais higiênicos que os não-descartáveis. É o sachê de açúcar, os canudinhos embalados em papel (aliás, para que usar canudos? O líquido não está em contato com o copo? Por que temos nojo de por a boca no copo?), os talheres descartáveis embalados em saquinhos de plástico descartáveis… Que doideira. Não é? Quem me garante que tudo isso foi devidamente higienizado antes de ser colocado para uso? Na verdade tudo isso é lixo emporcalhado que vira lixo mais emporcalhado ainda. Objetos não-descartáveis devidamente higienizados são muito mais higiênicos do que essas porcarias descartáveis. Nos vendem a falsa idéia de higiene, a falsa idéia de praticidade, a falsa idéia de que objetos descartáveis são coisas modernas e supimpas… E nós compramos tudo… Aiai… Vou parar, já tô ficando deprê… hahahaha

  3. É, realmente quando pensamos no tanto de lixo que produzimos atoa ficamos muito preocupados e tentando mudar alguns hábitos. Mas, apenas tendo um olhar crítico como nutricionista sobre situação do açucareiro. Com certeza a quantidade de lixo que produziríamos se utilizássemos um açucareiro seria muito menor, mas infelizmente a higiene não é adequada nos locais de ofertas de alimentos, e a presença de insetos veiculadores de doenças (formigas, baratas, moscas…) é o que mais tem em locais onde tem alimento. Por isso, sou a favor do sachê de açucar. Muitas pessoas não têm a noção do “estrago” que uma simples formiguinha no açúcar pode causar. Então, se vc não quer poluir o ambiente com sachês, experimente não adicionar açúcar nos alimentos, opte pelo natural, assim melhorará sua saúde e poluirá menos o ambiente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s