Transgênicos: alerta no rótulo


Aviso de transgênicos

Você já deve ter notado que algumas embalagens vêm agora com um triângulo amarelo, com um “T” escrito dentro, não é? Significa que o produto contém algum transgênico em seus ingredientes. Agora esse alerta é obrigatório.

Esses dias fui comprar amido de milho (também conhecido pelo nome da popular marca ‘maizena’), e fiquei sem opção: simplesmente TODAS as marcas tinham o famigerado “T” em seus rótulos. Fazer o que, pensei, vou ter que levar milho transgênico pra casa.

Já pesquisei sobe os impactos de transgênicos sobre a saúde e sobre o meio ambiente, na época em que eles começaram a entrar no mercado e a legislação brasileira regulamentou o uso deles no País. Conclusão simples: até agora ninguém comprovou dano algum na saúde ou na natureza.

Transgênico é quando usam um gene de outro organismo (geralmente bactérias) para melhorar variedades de milho, soja ou outro produto agrícola. Há transgênicos que sobrevivem melhor a estiagens, pragas, etc. Eca, você pode pensar, vou comer bactérias? Não exatamente. Você vai comer pedaços de DNA produzidos por elas. E já come coisa muito mais esquisita, posso lhe garantir (fungos, lactobacilos, etc). O problema que pode ter é se você for alérgico a alguma substância que o milho, soja ou o que seja passa a produzir depois de ter recebido o DNA alheio. Não há evidências de que o DNA importado faça nenhum outro mal ao seu corpo.

Já ao meio ambiente, a história é mais complicada, na minha opinião. Há quem diga que as lavouras transgênicas façam os seus predadores (geralmente pragas como fungos de plantação e insetos) evoluírem mais rápido para superar a nova habilidade da planta. Mas não vejo por que isso seria exatamente ruim ecologicamente – mas sim economicamente. É como as bactérias e os vírus causadores de doenças, que acabam ficando mais resistentes porque sempre selecionados os mais fortes, ao usarmos remédios – por isso, meu caro, é importante seguir direitinho a receita médica e tomar os antibióticos por todo o tempo estipulado, para não deixar sobrar alguns super-vírus e bactérias para contarem a história pros seus netos.

Outro porém dos transgênicos no ambiente é que não tem como barrá-los. O pólen de um cultivo de milho transgênico na certa vai ser levado pelo vento e se misturar a outros milhos, não transgênicos, e logo não vamos ter mais tanto controle sobre o que é e o que não transgênico.

Minha opção? Prefiro NÃO-transgênicos. Por quê, se acabei de dizer que eles não são assim perigosos quanto alguns dizem por aí? Por isso aqui: transgênicos muitas vezes são feitos para resistir a altos níveis de agrotóxicos, para os produtores poderem tascar mais veneno nas plantações – e assim terem perdas mínimas. Quem ganha com isso são grandes empresas, como Monsanto, que vendem o transgênico e o agrotóxico. E o pior: geralmente as sementes são feitas de forma a não produzirem uma segunda ou terceira geração. Assim os agricultores são obrigados a sempre comprar da mão deles.

Transgênicos são uma das facetas de uma agricultura que não é a nossa cara. Gostamos mesmo é daquelas  lavouras de pequena escala, familiares, que produzem feijão, mandioca e outras delícias para nossa mesa, mais fresquinhas e menos exportadas. Por isso, se vejo o triângulo amarelo nos rótulos, prefiro não levar, obrigada

Anúncios

Arranjo de flores


Arranjo de flores

 

Eu tinha um sonho… o de colher flores no meu próprio jardim e fazer arranjos para decorar a casa. Ficava fascinada como isso era possível e rotineiro na região de Devon, Inglaterra, onde passei três semanas fazendo um curso inesquecível sobre Sustentabilidade na Prática, no inovador Schumacher College.

Pois estas semanas, mesmo com a estiagem brava de Mina Gerais nesta época, as flores dão o ar da graça. Principalmente azaléias. Aliás, aprendi com elas que se deve observar as plantas que são comumente usadas em sua região, que geralmente são as que  ficam sempre vistosas e exigem pouca manutenção. Aqui em BH as azaléias reinam, principalmente no inverno. Foi isso que me convenceu – felizmente – a mante-las no meu jardim e plantar mais mudas.

Hoje, flores de orquídeas pingo de ouro, trepadeira lágrima de cristo e muitas azaléias – rosa choque, rosa claro, brancas… 🙂

Renovando a horta de apartamento – nova expedição noturna


Plantando chuchu, peixinhos e colocando sombrite

Quem segue a gente há mais tempo sabe que moramos num apartamento privilegiado, com uma área privativa generosa, que deixa a gente brincar de faz-de-conta e fingir que temos um quintal de verdade. Aos poucos, vamos espalhando vasos, telhas e jardineiras. Se o apartamento fosse nosso, já tínhamos realmente feito uma reforma para torná-lo mai “quintal”.

Como a gente tem pouco tempo de dia, mesmo aos finais de semana, o Dan gosta de aproveitar algumas noites para ir “mexer no terreiro”. Dessa vez foi para plantar lambaris (ou peixinhos – para entender veja nosso post sobre a planta com sugestão de preparo), chuchu e instalar um sombrite improvisado, que planejávamos há meses, mas que não fazíamos porque nunca tínhamos tempo suficiente. Graças a ajuda do irmão, ficou tudo pronto rapidinho. A Júlia observava tudo e conferia o serviço.

 

Como limpar o microondas e a pia de forma rápida, natural e eficiente


Prometi, aqui está!

limão- foto de autor desconhecido1) Como limpar o microondas: corte na metade um limão. Pode usar aquela metade esquecida que está lá na geladeira, se ainda não estiver esturricada… Ponha numa tigelinha que vá ao microondas, com um água até cobrir o meio limão. Ponha no micro, ligue em temperatura máxima por uns 3 minutos – ou até sentir o cheiro de limão cozinhando. Retire a tigela – com cuidado, está quente pra caramba! Passe um pano seco na área interna do microondas e está pronto.

Como funciona: o vapor do limão e de seus óleos essenciais espalha pelas paredes internas do equipamento. O limão tem propriedades adstringentes, quebra a gordura, além de desinfetar e deixar um cheirinho bom.

2) Como desinfetar a pia: Polvilhe bastante bicarbonato de sódio na superfície, esfregue com uma esponja úmida – molhe-a quantas vezes for necessário. Esfregue os cantinhos com uma escova de dentes para limpeza – se for reutilizar, ferva antes para esterilizar! Enxague. Jogue vinagre e deixe descansando por alguns minutos. Cubra com panos para o vinagre se manter como uma película úmida sobre toda a superfície. Enxágue novamente. Finalize com um pano seco com gotas de álcool – pode ser o perfumado caseiro que ensinamos a fazer aqui.

Como funciona: O bicarbonato causa um micro-atrito , retirando sujeiras mesmo dos “poros” da superfície. Por ser básico, ajuda na limpeza e retira odores. O vinagre ajuda a quebrar gordura, desinfeta e remove o bicarbonato. A água, solvente universal, retira as sobras desses produtos junto com as sujeiras e gorduras já quebradas. O pouquinho de álcool ajuda a secar, desinfetar e deixar u cheirinho suave e que não atrapalha a culinária.

Brinquedos reutilizando embalagens


PicMonkey Collage

Brinquedos ecológicos de verdade!

Já viu a cena, né? Você dá um brinquedo a um bebê, e ele se encanta mais com a embalagem que com o presente! Na semana passada os brinquedos preferidos da Júlia foram estes: um chocalho que fiz com uma garrafinha plástica e macarrãozinho de sopa, e uma caixa de tampas de potes plásticos – idéia da vovó.

Não precisarmos gastar uma fortuna com brinquedos para as crianças. Principalmente bebês. Eles se encantam com qualquer coisa!

E em homenagem à criatividade em lugar das compras, estamos inaugurando um mural no Pinterest, para colecionar boas idéias de brinquedos sustentáveis. Está ficando demais! 😀

Como fazer álcool perfumado caseiro


Imagem

Mais fácil, impossível! E ecológico, também. Você não vai mais precisar comprar álcool com perfume artificial.

Você vai precisar de:

– álcool líquido (está difícil de achar hoje em dia, procure em farmácias e lojas de produtos para perfumaria)

– folhas de eucalipto, lavanda, citronela ou da planta que quiser

– garrafa, de preferência de vidro e escura. É um boa reutilizar garrafas de vinho ou suco de uva.

Basta picar ou macerar um pouco as folhas da planta que for usar e colocar num vidro com o álcool líquido. Deixe descansar tampado em lugar escuro por uns dez dias. O óleo essencial passa para o álcool. Aqui em casa fiz de eucalipto e aprovamos!

Coloco um pouco num pano seco e uso para dar acabamento na limpeza da cozinha e do banheiro. Uma maravilha, deixa a casa limpa e perfumada naturalmente.

E nos próximos dias vou postar como limpar o microondas e como desinfetar a pia de forma rápida e natural, não percam 😉

Separando e entregando lixo reciclável


A cada duas semanas, mais ou menos, lá vamos nós entregar o lixo reciclável num dos pontos de coleta. Ficamos contentes por esse ato de cidadania. mas bem que ele poderia ser mais fácil, não? Temos de rodar 4 km de carro, contando ida e volta, pra entregar o lixo. E as aberturas das lixeiras são uma coisa, digamos…meio sem noção, né? A gente tem praticamente de enfiar o braço para encaixar os resíduos, e muitas caixas e vasilhas não passam. Resultado? O povo vai deixando ao pé da lixeira o que não cabe.

lixo

Pensei: será que não tem um jeito melhor? E saí procurando no Google outros modelos. Uns são bem charmosos, mas a praticidade é o que tem de mandar. se você fosse prefeito, qual escolheria  para sua cidade?

PicMonkey Collage

 

Kit Teste de fraldas ecológicas


O pessoal do Eccomama teve uma grande idéia! Fornecer kits de fraldas ecológicas para teste. Funciona assim: você compra um kit, no valor mínimo de R$ 100, mais frete e uma pequena taxa de adesão, recebe as fraldas em casa, vê se gosta e se adapta a elas, e se não gostar, pode devolver e ter retorno do valor em crédito para novas compras no site. Achei uma idéia fantástica, já que a gente precisa testar modelos e marcas no bebê para ver as que melhor se adaptam ao corpinho do pequeno(a) e à sua rotina.

Eu estou experimentando fraldas da Fio da Terra e Bebês Ecológicos, além de um absorvente de microfibra nacional e um de carvão de bambu, que ainda vai chegar – e que prometem ser o máximo!

fraldas teste2

Estou gostando das fraldas. Têm um sistema de ajuste nas perninhas, por um elástico caseado embutido. Você põe e ajusta a fralda na cintura, e então vê se está sobrando espaço entre a fralda e a perninha. Se tiver, basta apertar o elástico prendendo ele ao botão que fica embutido. As fraldas são de tecido variado por fora, camada impermeabilizada interna e tecido tipo sempre-seco em contato com a pele do bebê. Tive alguns vazamentos, é verdade, mas acho que por causa da impermeabilização do tecido sempre-seco. Agora parece que estão funcionando.

A Débora, do Eccomama, é uma fofa, e ajuda a gente a escolher as melhores opções. Recomendo!

Para saber mais: Eccomama, Fio da Terra, Bebês Ecológicos.

Para saber mais sobre fraldas ecológicas modernas: Fraldas ecológicas parte 1, parte 2 e parte 3

Atualização do POST: 

1) Por que usar plush por fora? Eu acabei comprando uma fralda assim, achando bonitinha, e como era mais cara, achei que teria algo especial. Mas já nas primeiras lavadas ficou com cara de velha, com os fios despenteados e juntando pelo de outras fraldas… Além de parecer ser um tecido muito quente para nosso clima…
2) Comprei uma fralda bonita de algodão, a revendedora aqui de BH (um amo de moça) está grávida e ainda não tem experiência em usar fraldas de pano, mas me diseram que era all-in-one. É uma fofinha,toda de algodão, com um tecido de fora que imita a cor de jeans, e babados nas perninhas. Achei uma delícia usar, já está pronta e é confortável à beça, e tem um bolso caso queiramos rechear com mais absorvente. Mas simplesmente não funciona! Parece que ela não tem camada impermeável, então o xixi atravessa todas as camadas e sai pelo tecido externo, molhando tudo!
3) Estampas são a coisa mais fofa do mundo, muita gente acaba comprando mais por elas (eu? kkk) – mas no dia a dia, as sem estampa, apenas brancas ou de cores alegres, são mais fáceis de combinar.

Sachês anti-formigas


Sempre simpatizei com formigas. Insetos sociais são tão inteligentes! Eu costumava ficar seguindo a trilha delas ou fazer uma “cidade” para as formigas, com potes de margarina, montinhos de terra, pontes de palitos e canaizinhos de água. Hoje continuo gostando delas, mas na cozinha, convenhamos, não ficam bem. Já notei que é época. Agora no inverno, aparecem não sei de onde aquelas grandes, vermelhas, e ficam procurando migalhas nos meus armários da despensa.

Aqui uma dica da minha mãe, para repelir insetos nos armários da cozinha: sachezinhos feitos com retalho de pano e fitinhas de cetim, recheados com cravo da índia. Vou tentar fazer alguns, porque aqui em casa está na época das formigas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Dica: Outros repelentes com cravo, para mosquitos, aqui neste post.

Receita de quibe assado vegetariano


Olás!

Por aqui seguimos testando novas receitas vegetarianas. Uma que deu muito certo,e é uma de nossas favoritas agora, é o quibe (ou seria kibe?) vegetariano ao forno. Segue a receita!

 

 

QUIBE ASSADO VEGETARIANO

  • 250g de trigo para quibe
  • 1 ovo
  • farinha até dar o ponto
  • mussarela ou outro queijo, a gotos, para rechear
  • uma cebola, para a massa a o recheio
  • hortelã a gosto
  • salsa e cebolinha a gosto
  • sal a gosto
  • pimenta do reino ou pimenta síria a gosto
  • azeite a gosto

Deixe o trigo de molho por alguma horas, até que esteja bem hidratado. Esprema para sair o excesso de água. Adicione o ovo e um pouco de farinha de trigo, até dar liga. Tempere com metade da cebola picadinha bem miúdo, azeite, sal, pimenta, hortelã, salsa e cebolinha. Em nossa receita também usamos um pouco de catupiry para ajudar a dar liga e sabor.

Coloque uma camada num refratário de aproximadamente 25 x 25 cm, recheie com queijo fatiado e rodelas finas de cebola, e cubra com outra camada da massa de quibe. Leve ao forno até dourar. Delícia! Ótimo como lanche ou prato principal!

 

Até a Júlia ajudou a fazer, observando tudo do sling. Essa menina vai acabar virando chef de cozinha!

Para vegetarianos…


Vamos falar de comida!

Eu e o Dan andamos abusando, comendo mais carne do que devíamos, em nossas viagens para visitar a família nas últimas semanas. Resultado: consciência reclamando – e intestino também. Resolvemos então dar um tempo e voltarmos a comer só comida estritamente vegetariana esta semana.

???????????????????????????????

Voltamos das viagens domingo. Geladeira devidamente abastecida de delícias vindas de uma horta orgânica comunitária lá de Coqueiral-MG (terra natal do Dan e onde vivem os pais dele). Chuchu, cenoura e beterraba – especialmente compradas para a introdução da pequena Júlia às papinhas! \o/ ! Também jiló, berinjela, lambari*, tomatinhos miúdos, brócolis e folhas de brócolis. Folhas de brócolis? Explico… é que o cunhado estava fazendo um feijão tropeiro e havia encomendado couve, mas como elas estavam em falta na horta, recomendaram que levássemos folhas de brócoli, que têm sabor parecido – e não é mesmo? Ovos já tínhamos de presente do vizinho, trazidos da roça também.

??????????????????????????????????????????????????????????????

???????????????????????????????Segunda-feira: resolvemos experimentar o tal lambari, uma folhinha aveludada que, nos disse o cuidador da horta, ao ser preparada à milanesa, fica parecendo o famoso peixinho. Sabor de peixe não me pareceu muito, não, mas o “trem” frito é danado de bom! Uma boa opção para substituir carne de peixe (sem ser com soja, blé!). Acompanhou salada de tomates, arroz com folhas de brócoli picadinha, castanha e alho tostados no mel e azeite. De janta, o Dan arranjou-nos com um risoto caprichado para aproveitar o arroz, com as folhas de brócoli, requeijão e castanhas do pará.

???????????????????????????????

???????????????????????????????Terça-feira: hoje preparei um dos meus pratos vegetarianos prediletos: berinjelas recheadas. No recheio, os tomatinhos miúdos mais maduros, o miolo das berinjelas, azeitonas pretas, requeijão, e castanhas do pará, temperados com alho, cebola, azeite e manjericão (do que sobrou da nossa horta em casa). Acompanhou salada de folhas de brócoli cruas com cenoura, um pingo de vinagre balsâmico e de mel, mais arroz branco já pronto (presente da minha sogra, que sempre se preocupa com o que vamos comer quando chegarmos de viagem). Para a janta de hoje, está nos planos caldo verde com batatas e inhame e folhas de brócoli no lugar da couve. E SEM linguiça desta vez.

Para amanhã, planejo fazer uma versão vegetariana de charutos com um repolho orgânico lindíssimo que veio na compra! Depois conto!

bon apetit!